Marcado: avivamento

Por Que Tarda o Pleno Avivamento? Leonard Ravenhill

Por Que Tarda o Pleno Avivamento - Leonard Ravenhill

Harnack definiu o cristianismo como “algo muito simples e muito sublime: viver no tempo e na eternidade sob o olhar de Deus, e com a ajuda dele”.

Ah, se os crentes pudessem estar cônscios da eternidade! Ah, se pudéssemos viver cada momento sob o olhar de Deus, se pudéssemos viver tendo sempre em mente o juízo final, e vender tudo que vendemos tendo em mente o juízo final, e fazer todas as nossas orações, dar o dízimo de tudo que possuímos, tendo em mente o juízo final; e se nós pregadores preparássemos nossas mensagens com um olho voltado para a humanidade perdida e outro para o trono do juízo final, então experimentaríamos um avivamento operado pelo Espírito Santo que abalaria esta terra, e que em pouco tempo salvaria milhões e milhões de vidas preciosas.

A baixa moralidade prevalente hoje em dia, bem como as tentativas das diversas seitas e cultos de dominar o mundo, deveriam deixar-nos alarmados. Alguém já disse, e com muita razão, que existem apenas três tipos de pessoas no mundo hoje: os que têm medo, os que não conhecem a realidade o suficiente para chegar a ter medo, e os que conhecem a Bíblia. Sodoma — onde não havia Bíblia, nem pastores, nem folhetos, nem reuniões de oração, nem igrejas — pereceu. Como será que os Estados Unidos e a Inglaterra vão escapar da ira de Deus? Aqui temos milhões de bíblias, centenas de milhares de igrejas, um sem número de pregadores — e quanto pecado!

Os homens constroem nossos templos, mas não entram neles; imprimem bíblias, mas não as lêem; falam de Deus, mas não crêem nele; conversam a respeito de Cristo, mas não confiam nele para sua salvação; cantam nossos hinos, mas depois os esquecem. Onde é que vamos parar com tudo isso?

Em quase todos os seminários de estudos bíblicos hoje a igreja atual é descrita nos termos da carta aos efésios. Afirma-se que, apesar de toda a nossa carnalidade e pecado, estamos sentados com Cristo nos lugares celestiais. Que mentira! Somos efésios, sim, mas da Igreja de Éfeso do Apocalipse, aquela que abandonou o seu “primeiro amor”. Fazemos concessões ao pecado em vez de fazermos oposição a ele. E nossa sociedade licenciosa, libertina, leviana nunca se curvará diante dessa igreja fria, carnal, crítica. Paremos de ficar procurando desculpas para nosso fracasso. A culpa pelo declínio da moralidade não é do cinema e da televisão. A culpa pela atual corrupção e depravação internacional é toda da igreja. Ela não é mais um espinho nas ilhargas do mundo. E não foi nos momentos de popularidade que a verdadeira igreja triunfou, mas, sim, nas horas de adversidade. Como podemos ser tão ingênuos a ponto de pensar que a igreja está apresentando aos homens o padrão estabelecido por Jesus no Novo Testamento, com esse baixo padrão de espiritualidade que ela ostenta.

Por que tarda o avivamento? A resposta é muito simples. Tarda porque os pregadores e evangelistas estão mais preocupados com dinheiro, fama e aceitação pessoal, do que em levar os perdidos ao arrependimento.

Tarda porque nossos cultos evangelísticos parecem mais shows teatrais do que pregação do evangelho.

O avivamento tarda porque os evangelistas de hoje têm receio de falar contra as falsas religiões.

Elias zombou dos profetas de Baal, e debochou da sua incapacidade de fazer chover. Seria melhor que saíssemos à noite (como fez Gideão), e derrubássemos os postes-ídolos dos falsos deuses, do que deixar de realizar a vontade de Deus. As seitas anticristãs e as religiões ímpias desta nossa hora final constituem um insulto contra Deus. Será que ninguém fará soar o alarme?

Por que não protestamos? Se tivéssemos metade da importância que julgamos ter e um décimo do poder que pensamos possuir, estaríamos recebendo um batismo de sangue, tanto quanto recebemos de água e fogo.

As portas das igrejas da Inglaterra se fecharam para João Wesley. E um de seus críticos disse que “ele e seus tolos pregadores leigos — esses grupos de funileiros, garis, carroceiros e limpadores de chaminés — estão saindo por aí a envenenar a mente das pessoas”. Que linguagem abusiva! Mas Wesley não tinha medo nem de homens nem de demônios. E se Whitefield era ridicularizado nas peças de teatro da Inglaterra da maneira mais vergonhosa possível, e se os cristãos do Novo Testamento foram apedrejados e sofreram todo tipo de ignomínia, por que será que nós, hoje em dia, não provocamos mais a ira do inferno, já que o pecado e os pecadores continuam sempre os mesmos? Por que será que somos tão gelados e enfadonhos? É bem verdade que pode haver muito tumulto sem avivamento. Mas, à luz do ensino bíblico e da história da igreja, não podemos ter avivamento sem tumulto.

O avivamento tarda porque não temos mais intensidade e fervor na oração. Há algum tempo, um famoso pregador, ao iniciar uma série de conferências, fez a seguinte declaração: “Vim para esta série de conferências com grande desejo de orar. Agora peço àqueles que gostariam de carregar junto comigo esse peso que ergam uma das mãos, e que ninguém seja hipócrita”.

Um bom número de pessoas levantou a mão. Mas, lá pelo meio da semana, quando alguns resolveram promover uma vigília, o grande pregador foi dormir. Que hipocrisia! Já não existe mais integridade. Tudo é superficial. O fator que mais retarda a vinda de um avivamento do Espírito Santo é essa ausência de angústia de alma. Em vez de buscarmos a propagação do reino de Deus, estamos fazendo mais propaganda. Que loucura! Quando Tiago (5.17) diz que Elias “orou”, estava acrescentando um valioso adendo à biografia dele registrada no Velho Testamento. Sem essa observação, ao lermos ali: “Elias profetizou”, concluiríamos que a oração não fez parte da vida dele.

Em nossas orações ainda não resistimos até o sangue; não mesmo. Como diz Lutero, “nem ao menos fizemos suar nossa alma”. Oramos com uma atitude tipo “o que vier está bom”. Deixamos tudo ao acaso. Nossas orações não nos custam nada. Nem mesmo demonstramos forte desejo de orar. Fica tudo na dependência de nossa disposição, e por isso oramos de forma intermitente e espasmódica.

A única força diante da qual Deus se rende é a oração. Escrevemos muito sobre o poder da oração, mas ao orar não temos aquele espírito de luta. Nós fazemos tudo: exibimos nossos dons espirituais ou naturais; expomos nossas opiniões, políticas ou religiosas; pregamos sermões ou escrevemos livros para corrigir desvios doutrinários. Mas quem quer orar e atacar as fortalezas do inferno? Quem irá resistir ao diabo? Quem quer privar-se de alimento, descanso e lazer, para que os infernos o vejam lutando, envergonhando os demônios, libertando os cativos, esvaziando o inferno, e sofrendo as dores de parto para deixar atrás de si uma fileira de pessoas lavadas pelo sangue de Cristo?

Em último lugar, o avivamento tarda porque roubamos a glória que pertence a Deus. Reflitamos um pouco sobre essas palavras de Jesus: “Eu não aceito glória que vem dos homens”. “Como podeis crer, vós os que aceitais glória uns dos outros, e contudo não procurais a glória que vem do Deus único?” (Jo 5.41,44.) Chega de toda essa autopromoção nos púlpitos. Chega de tanto exaltar “meu programa de rádio”, “minha igreja”, “meus livros”. Ah, que repulsiva demonstração carnal vemos nos púlpitos: “Hoje, temos o grande privilégio…” E os pregadores aceitam isso; não, eles já o esperam. (E se esquecem de que só estão ali pela graça de Deus.) E a vaidade é que, quando ouvimos tais homens pregar, notamos que nunca ficaríamos sabendo que eram tão importantes, se não tivessem sido apresentados como tal.

Coitado de Deus! Ele não está recebendo muita glória! Então, por que ele ainda não cumpriu sua terrível mas bendita ameaça de que iria vomitar-nos de sua boca? Nós fracassamos; estamos impuros. Apreciamos os louvores dos homens. Buscamos nossos próprios interesses. Ó Deus, liberta-nos dessa existência egoística, egocêntrica! Dá-nos a bênção do quebrantamento! O juízo deve começar por nós, pelos pregadores!

ADQUIRA AQUI O LIVRO “POR QUE TARDA O PLENO AVIVAMENTO” DE LEONARD RAVENHILL

Anúncios

Pensamentos de Leonard Ravenhill sobre Oração e Avivamento

Fizemos uma pequena seleção de frases dos primeiros capítulos do livro Oração de Avivamento, de Leonard Ravenhill. Espero que abra mais e mais nossos olhos.

“Será que nós, que ainda (sic) tenhamos algumas brasas em nossos altares, não estaríamos medindo nosso fervor com base na frieza dos altares das igrejas vizinhas, em vez de refletir em oração sobre nossa santa omissão?” p.24

“ O mundo perdeu a capacidade de se envergonhar de suas transgressões, e a Igreja já não é mais capaz de se lamentar pelos perdidos”. P. 25“Só há um caminho para os transgressores e para a nação corrompida pelo pecado: buscar amisericórdia de Deus.”p. 26

“Quem pode negar que o avivamento está claramente presente no livro de Atos e que, no mesmo livro, a oração está relacionada a avivamento?” (No prefácio do livro)

“A fé honra a Deus. Deus honra a fé e vai até onde ela O leva. A fé bíblica é capaz tudo o que Deus faz (pois seu único desejo é glorificar a Deus, e jamais pedirá algo que seja indigno)” p.33

O caminho para a unção de Poder
“O caminho para uma nova unção de poder, tanto individual como coletiva, poderia ser como segue: em primeiro lugar, renunciar a todo pecado conhecido; em segundo lugar, confessar com pesar por termos fracassado, lamentavelmente, satisfeitos por longos anos com o status quo; em terceiro lugar, buscar a face do Senhor em fervorosa oração; e, finalmente, estudar diligentemente a Bíblia, a fim de descobrir as promessas de Deus a esta geração perdida e às nossas necessidades das igrejas.”

“A fé o músculo que nos permite levar o fardo; a moeda corrente pela qual fazemos aquisições no reino espiritual; a fé é visão espiritual. Os homens de fé vêem o invisível. Os homens de féconhecem dimensões espirituais ignoradas por aqueles que se contentam com orações rotineiras.”P.37

“Se redescobríssemos nos dias atuais toda a virtude, autoridade e vitória que há no nome de Jesus,certamente seríamos capazes de iluminar este mundo para Deus […] Somos capazes de expulsar oinimigo, mas não de levá-lo cativo. Agimos apenas na defensiva e raramente usamos nosso poder  para atacar.”. p. 43

“Estaremos nós, os cristãos, nos divertindo enquanto muitos perecem? Se esse cristianismo de ir àigreja uma vez por semana, pagar os dízimos e cantar no coral é o máximo do nosso culto cristão e aextensão da nossa paixão pelos perdidos, não passamos de uma farsa. Nesta guerra santa, nós, que lamuriamos em cultos voltados para nossos próprios interesses […] somos semelhantes a umamultidão de homens à qual foi concedida toda a munição necessária e todo o equipamento requerido para lutar e, mesmo assim, nos recusamos fazê-lo. Que Deus tenha piedade de nós!” p.44

“Haveremos de aprender a orar, tenho certeza que Deus providenciará nesse sentido. Ele está muitomais interessado em nossa santidade do que em nossa satisfação terrena. Quando tivermos menosambição por bens materiais e nosso conforto material for diminuído, gastaremos menos tempodesfrutando-os e permaneceremos mais tempo de joelhos, em oração.” P.45

Leonard Ravenhill

*Leonard Ravenhill, evangelista e escritor britânico (1907-1994), foi o maior avivalista dos anos 60 e 70. Após ter evangelizado na Inglaterra, mudou-se para os Estados Unidos, na metade de sua vida, onde continuou seu ministério. É autor de vários livros entre os quais Por Que Tarda o Avivamento, Avivamento à Maneira de Deus e Oração de Avivamento. Os excertos acima foram extraídos deste último livro.

Igreja nas ruas

Igreja Nas Ruas

Fomos chamados para fora das quatro paredes da igreja. O coração da Cultura do Reino tem como base a palavra de Isaias 61 e a confirmação dessa grande verdade profética por Jesus em Lucas 4:18-19

18O Espírito do Senhor está sobre mim, porque Ele me ungiu para pregar as boas novas aos pobres. Ele me enviou para proclamar liberdade aos presos e recuperação de vista aos cegos, para libertar os oprimidos 19e proclamar o ano da graça do Senhor. Lucas 4:18-19

Nossa oração ao Senhor é uma geração que vai se levantar. Que não se entregarão as drogas, ao sexo, a corrupção, a todo tipo de pecado. Não se entregarão aos homens. Se entregarão somente a Jesus. Pedimos ao Senhor que libere uma geração apostólica que sairá pelas nações para amar por todos os dias de suas vidas. E aonde quer que eles forem, levarão o evangelho e o amor de Jesus. O amarão incansavelmente; não agarrando-se a nada. Senhor, levante os profetas nazireus como João Batista queimando no deserto por Ti.

A glória e o poder do Senhor está vindo sobre o Brasil para trazer uma reforma e a chave para essa mudança é o AMOR.

Convidamos você e sua igreja para estar conosco neste sábado, dia 01/02 às 09h na ilha musical do Pq. Villa Lobos em São Paulo para um dia de adoração, palavra e evangelismo de poder. Contamos com as suas orações.

Robertt Marques

Confirme aqui sua presença e convide seus amigos e sua igreja

Ore por alguma coisa específica – Charles Finney

Principios da Oração - Charles FinneyMuitas pessoas buscam um lugar no qual possam ficar sozinhas para orar apenas por que elas “têm de fazer suas orações”. É a hora de seu hábito diário de orar por is mesmos – seja pela manhã, ao meio-dia ou em qualquer outra hora do dia. No entanto, em vez de ter algo particular a dizer, algum objetivo definido em mente, elas se ajoelham e oram por qualquer coisa que lhes passa pela cabeça e, quando terminam, dificilmente podem contar uma só palavra do que foi dito naquele momento. Essa não é uma oração eficaz. O que pensaríamos de alguém que tentasse iniciar uma assembleia legislativa dizendo: “A sessão está aberta e é hora de despachar as petições”, e você subisse ao plenário com uma petição ao acaso, sem nenhum objetivo definido? Você acha que petições desse tipo chamariam a atenção dos parlamentares?

É preciso ter alguma objetivo definido em mente. Não é possível orar eficazmente por uma variedade de coisas ao mesmo tempo. A mente é constituída de tal modo que não é capaz de focar intensamente seu desejo em muitas coisas de maneira simultânea. Todos os exemplos de oração eficaz registrados na Bíblia estão concentrados em um único ponto. Em qualquer ocasião em que se alcançou uma bênção, percebe-se que a oração foi feita com um objetivo específico.

Quero Pai celestial, minha mente vaga demasiadamente em minhas orações a ti. Meu foco de atenção é curto, e logo me desvio para outras direções. Concentra minha mente naquelas pessoas, eventos ou coisas pelos quais devo orar. Ajuda-me a fixas meus pensamentos continuamente, sem oscilação, em apenas um propósito, para que eu possa realizar por meio da oração pelo menos uma coisa para tua glória. Amém

Charles FinneyLivro Princípios da Oração – Aprenda a Orar com Poder. Charles Finney levantou-se com uma onda de choque espiritual no cenário norte-americano do século XIX. Finney atribuía sua eficácia em grande parte à oração.  Largamente reconhecido com um dos primeiros evangelizadores nos EUA, foi também um grande homem de oração. No século XIX, quase 500 mil pessoas se converteram como fruto de seu ministério.

→ Comprar na ReinoStore

Avivamento: Um coração como um vulcão em erupção

Avivamento

Quanto menos oramos, menos vontade de orar nós temos. Um avivamento virá quando tivermos uma vida de oração que nossa fé seja capaz de mover montanhas. Nosso coração se torna um vulcão em erupção para gerar o AMOR que só o Senhor pode nos dar. Um amor que seja capaz de amar a pessoa mais desagradável que seja.

Um fariseu não se relacionava com o povo doente, pobre e analfabeto. Os fariseus chamavam esse povo de maldito. Na cultura hebraica um homem santo não poderia tocar em tudo aquilo que estava morto ou impuro, porque isso poderia deixá-lo impuro. Eles tinham muitos problemas com Jesus. O avivamento veio através de Jesus que quebrou esses paradigmas e conceitos gerados pela religiosidade. Isso porque a morte estava trabalhando na vida daqueles fariseus. Quando Jesus tocava o morto, ele se tornava purificado.

O Senhor tem um avivamento guardado para entregar àqueles que o buscam com coração quebrantado. Um avivamento tal que faz com que as pessoas não tenham mais prazer em mais nada nessa vida, somente seguir a Jesus e Seu Reino. Pessoas se converterão e voltarão ao Senhor. O Reino de Deus e a volta de Jesus será algo URGENTE na vida das pessoas, assim como foi na igreja primitiva.

Robertt Marques

Som do Reino apresenta The Sounds de Daniel Bashta

The Sounds Of Daniel Bashta

Neste início, a Som do Reino tem a honra de anunciar o lançamento dia 31.10.12 do álbum “The Sounds” em versão instrumental. Para fazer o download do álbum, é necessário curtir a página da Cultura do Reino no facebook.  DOWNLOAD

Som do Reino

O que nos encorajou a dar início a este trabalho, foi porque nós acreditamos que a música  como um das manifestações de adoração dos filhos ao Pai, feita com essência, com coração puro e um espírito reto em verdade, pode transformar vidas pelas mãos do nosso Deus de amor. Pensando nisso, a Cultura do Reino, dá início a Som do Reino para distribuir bandas e músicos missionários que tem paixão por Jesus e compaixão pelas vidas.

Temos como objetivo edificar o Corpo de Cristo e o levar a maturidade espiritual (Hb 5). Precisamos de canções que cantem os atributos divinos de Deus Pai e seu poder sobrenatural salvador, assim como a identidade messiânica de Jesus. Voltar as profundezas dos hinos carregados de glória e escritos por corações que amavam a Deus.

Missão: Não é promover entretenimento para alcançar as pessoas. Não transformar a música em uma simples apresentação musical. Nossa missão é manifestar a glória de Deus através da música.

Valores: Adoração, Unidade, Oração, Jejum, Arrependimento, Transformação, Reconciliação, Novidade, Preparo, Avivamento, Santidadae.

Quatro maneiras para ajudar-nos a alcançar a missão:
1. Comprometer-se a orar por nós. {Tiago 5:16}
2. Você tem o direito de copiar e compartilhar nossa música. Espalhar a palavra sobre a Som do Reino!
3. Ofertar. Ajude-nos financeiramente. Nós precisamos de sua ajuda. {2 Coríntios 9:6-7}
4. Apoiar nossos músicos. Você pode fazer isso, orando por eles, ir onde eles estiverem, comprar seus produtos.

Música é uma missão

O Maior Avivamento de Toda a História

O Maior Avivamento de Toda a História - Robertt Marques

O que o Espírito Está Dizendo Sobre Está Geração | Robertt Marques

I. O MAIOR AVIVAMENTO DE TODA A HISTÓRIA  

A) Estamos diante de um momento critico na história da nossa nação. O Espírito Santo está visitando o seu povo com poder à medida que aumenta a escuridão. A luz está ficando mais brilhante como a escuridão está se tornando mais escura.

2 Olhe! A escuridão cobre a terra, densas trevas envolvem os povos, mas sobre você raia o SENHOR, e sobre você se vê a Sua glória. (Isa. 60:2)

B) O maior Avivamento da história e da crise virá em breve. Olhamos com confiança para as promessas de Deus ao derramar o Seu Espírito assim capacitar seu povo para trazer o evangelho a todas as nações.

17  Nos últimos dias, diz Deus, derramarei do meu Espírito sobre todos os povos. Os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. 18Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão. 19Mostrarei maravilhas em cima, no céu, e sinais em baixo, na terra: sangue, fogo e nuvens de fumaça. 20O sol se tornará em trevas e a lua em sangue, antes que venha o grande e glorioso dia do Senhor. (Atos 2:17:20

 14  E este Evangelho do Reino sera pregado em todo o mundo como testemunho a todas as nações, e então virá o fim. (Mt. 24:14)

C) A crise teológica está surgindo em toda o mundo onde muitos serão incapazes de discerner entre a verdade e o engano (1 Tim. 4:1-3). 01O Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. 02Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada 03e proíbem o casamento e o consumo de alimentos que Deus criou para serem recebidos com ação de graças pelos que crêem e conhecem a verdade. As escrituras são claras de que muitos cairão da fé, como a ofensa, medo, crise pessoal e decepção abundante. ((Mt. 24:9-13; Lu. 21:26; 2 Tess. 2:3; 1 Tim. 4:1-2; 2 Tim. 3:1-7; 4:3-5; 2 Ped. 2:1-3).

 

II. O SENHOR ME VISITOU COM UMA VISÃO

 A) O Senhor me visitou em meu quarto em Novembro de 2010. Enquanto orava ele me levou para uma estrada longa. Em seu acostamento – dos dois lados – vi milhares de pessoas. Caminhava com o Senhor por este caminho com muita dificuldade. As pessoas se aproximaram de mim e me tocaram. Senti suas dores, aflições e desesperos. E Senhor disse: Essas são as dores dos que eu amo. Quando me dei conta, estava no chão derramando lágrimas por essas vidas.

 B) Podemos ver que a profecia se cumpriu em Atos 2. Pedro fez uma pregação completamente revestido do poder do Espírito Santo naquele dia. O mover do Espírito Santo continua ainda nos dias de hoje.

C) Sempre quando Deus começa algo, como uma reforma, Ele sempre procura uma Ester, um Davi, um Daniel. Ele pega os jovens e os incendeia. Já está acontecendo nesta geração.

D) Deus está fazendo uma reforma na igreja brasileira. Basta ler os jornais e revistas. É triste ver matérias de “evangélicos” mercadores da fé enganando o povo. Oferecimento de falsas promessas e ameaças de que o socorro espiritual e econômico somente alcançaria aqueles que se sacrificassem economicamente pela Igreja”.

E) Nosso coração é o lugar para o fogo do Espírito. Nosso nome está na chama do Espírito para estar conosco para SEMPRE. Ele vive no coração de quem o conhece. 

17O mundo não pode recebê-lo, porque não o vê nem o conhece. Mas vocês o conhece, pois ele vive com vocês e estará com vocês. Não os deixarei órfãos; voltarei para vocês. (Joa 14:17)

 F) Ele não disse: sua vida será incrível, cheia das riquezas deste mundo, e toda a sorte e as estrelas e a lua. Ele disse: Você vai morrer, agora você quer me seguir? (Joa 15:18:26)

III. ORAÇÃO, JEJUM, INTIMIDADE, ENTENDIMENTO DA PALAVRA E SANTIDADE

A) Leonard Ravenhill foi um grande evangelista que focava muito em oração e avivamento. Suas reuniões atraia grandes multidões na Inglaterra, e como resultado, muitos convertidos e envio de muitos cristãos ao campo missionário. Certa vez ele disse: “Os pregadores não oram, muito menos jejuam.

B) Gastamos mais tempo com toda essa tecnologia – apertando botões – do que com o Espírito Santo. Isso tudo está nos afastando do lugar de oração.

C) Deus tem falado comigo sobre cinco pontos importantes para nossa vida futura e ministerial. Não são os únicos valores no Novo Testamento, mas são os mais negligenciados. A Cultura do Reino baseia-se em:

1. Oração: Os espíritos malignos e demônios estão cada vez mais fortes.
2. Intimidade: Somente por intermédio do jejum e oração.
3. Jejum:  Disciplina perdida com o tempo. Só consegue quem está na intimidade e oração.
4. Entendimento da Palavra: Necessário a leitura diária da Bíblia. Meditar de dia e de noite.
5. Santidade: Com oração, jejum, intimidade, entendimento da palavra e seguir seus mandamentos.

IV. PALAVRAS PROFÉTICAS SOBRE O BRASIL

A) Entre os dias 22 e 23 de Agosto de 2011, o Conselho Apostólico Brasileiro, se reuniu para buscar direção de Deus e discernir os tempos em que vivemos. Citarei algumas das palavras. O texto completo você pode encontrar no site do Agape Reconciliação.

1. Teremos um derramar do Espírito Santo, comparado a “Pentecostes”
2. Teremos uma economia forte, que vai transformar o país em celeiro de alimentos p/ as nações;
3. Seremos um celeiro de missionários para o mundo;
4. Seremos um canal de bênção, influência, unidade continental e referencial  para outras nações;
5. Crescimento do Evangelho em nosso país.

V. ARREPENDIMENTO

A) Há muito, porém, para nos arrependermos. Precisamos estar preparados para o que Deus tem para a nação brasileira.

B) É necessário que os jovens estejam comprometidos em expandir a Cultura do Reino debaixo da obediência. 

CLIQUE AQUI PARA DOWNLOAD EM PDF.

Por: Robertt Marques