Categoria: Deus

Som do Reino 26-27 de Julho em São Paulo

Imagem

O projeto nasceu com o objetivo de cumprir com a missão de Jesus: Ir e fazer discípulos para amar, servir e libertar.  Nosso coração anseia em marchar com um ritmo diferente para manifestar a glória de Deus através da palavra e da música levando as pessoas  a se envolverem com Missões.  Toda renda será revertida para sustento e projetos missionários.

Nós convidados você para estar conosco nos dias 26 e 27 de Julho em São Paulo com o objetivo de mobilizar pessoas que irão moldar a cultura e transformar nações com o amor de Jesus.

Todos os ministros convidados estão envolvidos em tempo integral com missões.

Estamos planejando também a gravação de um DVD ao vivo. Também todos os lucros com a venda deste material serão revertidos para o sustento de missões.

Missão: Manifestar a glória de Deus através da música levando o seu povo a se envolver com Missões.

Valores: Adoração, Unidade, Oração, Jejum, Arrependimento, Transformação, Reconciliação, Novidade, Preparo, Avivamento, Santidade.

Três maneiras para ajudar-nos a alcançar a missão:

1. Orar por nós. {Tiago 5:16}
2. Doar. Ajude-nos financeiramente. Nós precisamos de sua ajuda. {2 Coríntios. 9: 6 e 7}
2. Compartilhar a palavra sobre o Som do Reino em sua Igreja!

BREVE DIVULGAREMOS MAIS INFORMAÇÕES

Anúncios

A Reforma Protestante

A história da Igreja se iniciou a partir de um avivamento que atingiu a Europa e varreu o Planeta Terra no início do século XVI. De repente, o fogo de Deus foi aceso no coração de um homem que vivia no interior da Alemanha, e a partir dele o fogo se alastrou pela Europa, Inglaterra, Estados Unidos, Brasil e chegou até nós, em Belo Horizonte.

Martinho Lutero foi o homem que Deus usou para dar início ao avivamento que mudou a história do mundo. Ele era um advogado, que decidiu tornar-se monge por sentir medo de Deus. Contudo, mesmo tornando-se um monge agostiniano, ele não teve paz. As muitas leituras, os intensos trabalhos, as inumeráveis penitências, as atividades da igreja não puderam calar o grito daquele coração que ansiava por Deus. Quanto mais Lutero se envolvia com os trabalhos da igreja, mais o coração dele sentia-se longe de Deus.

Um dia, ele começou a estudar as cartas de Paulo, e, de repente, as seguintes palavras saltaram das páginas: “Não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê: primeiro do judeu, depois do grego. Porque no evangelho é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé, como está escrito: ‘o justo viverá pela fé’” (Romanos 1.16-17). Pela primeira vez, Lutero entendeu que a salvação não acontece quando Deus literalmente derrama a sua justa, pesada e condenatória justiça sobre o homem, mas, sim, quando o homem abraça e se rende ao evangelho, a boa nova da salvação que diz que Deus, por amor, literalmente derramou a sua justa, pesada e condenatória justiça sobre Jesus. Aquilo que Lutero não havia conseguido fazer pelo esforço pessoal, Jesus havia feito em lugar dele.

Finalmente, Lutero entendeu que ele não deveria tentar comprar a salvação e nem as bênçãos de Deus por meio de penitências, jejuns, orações, vigílias, sofrimentos e dinheiro. Antes, a salvação já havia sido comprada por Jesus na cruz do Calvário, cabendo tão somente ao homem se render em fé operante e amor sincero a Jesus, o gracioso Salvador. Assim, no dia 31 de outubro de 1517, Lutero afixou, na porta da Catedral de Wittenberg, as suas 95 teses, que falavam contra a venda de bênçãos nos céus. Ninguém pode, pelo esforço pessoal ou por meio de dinheiro, comprar as bênçãos de Deus. As bênçãos do evangelho da salvação não podem ser compradas, pois elas são dadas de graça por meio de Jesus Cristo, era a mensagem de Lutero.

Entretanto, ao tentar apresentar o evangelho aos dirigentes da Igreja Católica Apostólica Romana, Lutero foi ameaçado de morte. Mas o fogo de Deus já havia se acendido no seu coração. Ninguém mais conseguiria mantê-lo calado. Antes, ele diria a todos tudo aquilo que Deus havia feito na vida dele. No lugar de medo, ele tinha amor; no lugar de desespero, ele tinha esperança; no lugar de ódio, ele tinha profunda gratidão a Deus por Jesus Cristo; no lugar de covardia, ele tinha a coragem de anunciar e cantar: “Castelo forte é o nosso Deus/ Espada e bom escudo/ Com seu poder defende os seus/ De todo transe agudo… Se nos quisessem devorar/ Demônios não contados/ Não nos iriam derrotar/ Nem ver-nos assustados/ O príncipe do mal/ Com o seu plano infernal/ Já condenado está/ Vencido cairá/ Por uma só Palavra”.

O fogo que Deus acendeu no coração de Martinho Lutero, logo se alastrou e queimou as amarras que prendiam milhares de pessoas na religiosidade. O fogo do amor ao Senhor, da liberdade do evangelho, da graciosa graça de Deus, do poder do Espírito Santo incendiou toda Europa. Muitos homens e mulheres perderam a vida simplesmente porque decidiram seguir Jesus ao invés de uma religião. Milhares morreram sob a espada, lançados na fogueira ou afogados nos rios. Entretanto, muitos outros, fugiram de suas casas e cidades levando o fogo de Deus por onde iam.

Assim, depois de percorrer muitas nações, cidades e caminhos, o fogo de Deus chegou ao Brasil. Ao invés de anunciarem uma religião, os missionários proclamaram a boa nova de que Jesus havia morrido em nosso lugar e de que as bênçãos de Deus são dadas de graça a todo aquele que crê. Houve muitos embates, debates e perseguições no Brasil contra a graciosa mensagem do evangelho. Contudo, centenas e milhares de pessoas se renderam a Jesus e a igreja evangélica nasceu em solo brasileiro.

A Igreja da Lagoinha é uma dessas igrejas que nasceu a partir dessa mensagem que foi anunciada por Martinho Lutero há mais de 500 anos. Cremos que somos salvos pela graça mediante a fé. Reconhecemos que a salvação e as bênçãos de Deus não podem ser compradas pelo esforço humano ou pelo dinheiro das pessoas. Entendemos também que o verdadeiro evangelho torna as pessoas livres para adorarem ao Pai, por meio de Jesus Cristo e no poder do Espírito Santo.

 Soli Deo Gloria

Gustavo Borja Bessa 

(texto original em http://www.lagoinha.com

 

Louvor ou Missões? por Keith Green

Desde que posso me lembrar, o maior sonho do Keith Green era se tornar um sucesso musical. Entretanto após render sua vida a Jesus, Ele sentiu a necessidade de render aqueles sonhos e aspirações entregando sua música…talvez até sem nunca mais se apresentar em público. Ironicamente, algum tempo depois Deus o liberou para a música novamente, ele rapidamente assinou um contrato de gravação do seu primeiro álbum e foi para o topo da lista de Música Cristã Contemporânea. A mensagem a seguir nasceu dos encontros de Keith com aqueles que se aproximavam dele, geralmente após as ministrações, para perguntar como eles poderiam se tornar “grandes” na música cristã.

Hoje, tantas pessoas me perguntam como elas podem começar ou entrar no ministério de música. Em shows eu recebo inúmeras perguntas sobre isso, e eu recebo milhares de cartas e até algumas ligações de longa distância de pessoas que sentem que são chamados apenas para o “ministério de música”. Um dia eu comecei a me perguntar porque somente poucas pessoas já me perguntaram como se tornar um missionário, ou até um pregador de rua, ou como discipular um novo convertido. Parece que todos preferem os holofotes do que eles acham que ministério de música deva ser ao invés da lama e obscuridade do campo missionário ou das ruas do gueto ou até a doce verdade espiritual de ser um ninguém que o Senhor usa poderosamente em pequenas coisas do dia-a-dia.

Você está desejando?

Minha resposta a pergunta deles é sempre a mesma. “Você está desejando nunca mais tocar novamente? Você está desejando ser um ninguém? Você está desejando ir pra qualquer lugar e fazer qualquer coisa para Cristo? Você está desejando ficar onde está e permitir que o Senhor faça grandes coisas através de você, mesmo que ninguém nunca veja nada?” Todos parecem responder cada uma dessas perguntas com um rápido “Sim”! Mas eu realmente duvido do que suas respostas dizem.

Fã-clubes

Minha querida família em Jesus, porque somos tão fanáticos? Porque idolatramos cantores cristãos e pregadores? Passamos de glorificar músicos no mundo para glorificar músicos cristãos. É tudo idolatria! Você não pode ver isso? É verdade que há muitos homens e mulheres de Deus que são grandemente ungidos para atrair o Espírito de Deus sobre o Seu povo e perdidos. Mas Satanás está obtendo uma grande vitória enquanto parece que louvamos esses ministros em fitas e gravações e clamamos para conseguir seus autógrafos em igrejas e casas de show de costa a costa.

Você não percebe que você está ferindo esses ministros? Eles tentam desesperadamente dizer a você que eles não merecem ser louvados, e por causa disso você os louva ainda mais. Vocês estão sufocando eles, fazendo com que seja praticamente impossível que eles percebam que realmente tudo sobre Jesus. Eles ficam falando a eles mesmos isso, mas vocês ficam falando a eles que é realmente tudo sobre eles, destruindo a humildade deles e bloqueando o Espírito que está tentando manter olhos deles em Jesus.

Verdadeiramente, queremos nos tornar o que idolatramos, as vezes com todo nosso coração. Então uma porção de gente que quer parecer com seu cantor ou ministro favorito, busque depois disso com o mesmo fervor que o Senhor demanda que busquemos a Ele! E novamente, nós insultamos o Espírito da Graça e tentamos colocar nosso nome à mostra, ao invés de colocar o nome de Jesus.

Um trabalho sem agradecimento

Porque ninguém idolatra ou louva missionários que largaram mão de tudo e vivem em pobreza, colocando em perigo sua vida e família com todo perigo que o “American Dream” quase que eliminou? Como pode ninguém nunca exaltar os ministérios de rua e prisões que nunca podem aceitar uma oferta porque se eles aceitassem eles iriam chorar ou rir do que receberam?

Como é possível?

Porque fomos ensinados desde há muito tempo que o conforto é nosso alvo e segurança e que devemos sempre buscar várias pessoas que gostem de nós. Quem vive menos confortavelmente e tem menos amigos do que os missionários vazios de si que sofreram inúmeras vezes, pessoas que morreram cedo tentando conquistar almas e nações para a glória de Deus? Você realmente crê que estamos vivendo os últimos tempos? Então porque você gasta mais dinheiro em música gospel e shows do que dá para organizações que alimentam os pobres ou missionários no campo?

Há ministros ao redor de todo o mundo onde pessoas sem dinheiro estão sendo salvas e transformadas. São pessoas quebradas que possuem promessas e qualidades, mas simplesmente precisam de alguém que leve a luz de Deus durante o tempo em que vivem completamente sem esperança.

Eu me arrependo de um dia ter gravado uma única música e ter feito um concerto se a minha música, e mais importante, minha vida não tiver provocado em você um ciúmes de Deus (Romanos 11:11) ou de se entregar completamente a Jesus.

Desista de tentar fazer “deuses” de ministros e pare de tentar desejar ser como eles. O Senhor te ordena: Negue-se a si mesmo, carregue a sua cruz e siga-me (Lucas 9:23). Meu piano não é a minha cruz, é a minha ferramenta. Eu nunca mais tocaria se Deus me mostrasse uma ferramenta mais efetiva em minha vida para proclamar o evangelho. Deus nos deu uma ferramenta única. Mas podemos nunca usá-la se ficarmos mais interessados na de outra pessoa. Busque a Deus, pergunte a Ele pelo plano dEle para o seu ministério (o verdadeiro, o ministério que glorifique a Deus) na sua vida.

Conclusão

Para finalizar, deixe-me dizer que o único ministro de música que o Senhor irá dizer: “Muito bem, servo bom e fiel” é aquele que a vida prova o que cantam e a quem a música é destinada é a parte mais importante de sua vida. Glorificar o único que é digno deve ser o maior ministério e objetivo.

Vamos todos nos arrepender da idolatria em nossos corações e nossos desejos para uma vida confortavel e recompensadora, quando na verdade a Bíblia nos diz que estamos aqui apenas de passagem como estrangeiros e peregrinos desse mundo (Hebreus 11:13), pois nossa recompensa está no céu. Não vamos nos esquecer que nosso dever para o Senhor é “…não comente crendo nEle mas também participando de seus sofrimentos” (Filip 1:29).

Amém. Vamos morrer graciosamente juntos e permanecer firmes até o fim como bravos soldados que dão a sua vida sem hesitar, para o nosso nobre e glorioso Rei da Luz.

Traduzido por André Aquino. Texto original www.lastdaysministries.org

Copyright Cultura do Reino. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Cultura do Reino  (aculturadoreino@gmail.com).

Aquele que habita no esconderijo

“Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará”. Sl 91:1

O Salmo 91 é um dos mais emblemáticos da bíblia. O mais lido. O mais memorizado. Encorajador. É usado muitas vezes em batalha espiritual. Na música. Até mesmo o diabo citou os versículos 11 e 12 para provar o Senhor Jesus. Também é considerado por alguns cristãos e não cristãos um amuleto da sorte. Algo que traz proteção. Segurança.

Certa vez, na universidade, perguntei ao meu professor de retórica se ele lia ou já leu a Bíblia, na lata ele respondeu: “Tenho o Salmo 91 no quadro pendurado na sala da minha casa. Protege minha casa”. (É mais econômico que a Graber?)

Precisamos ser sábio ao usar as escrituras para não sermos enganados pelas nossas próprias convicções. Não adianta muita informação na mente se no coração não tem revelação. O Salmo 91 é um exemplo de que o esconderijo é um lugar secreto. Se é secreto o diabo não sabe onde fica. Ele até “tenta” entrar, mas não consegue. Somente quem AMA o Senhor entra nesse lugar. Tem a certeza que Deus estará lá. Lugar de plena intimidade. Lugar onde nosso coração é quebrantado. Restaurado. Onde confessamos nossas fraquezas. Fortalecido. Lugar de oração. Descanso para alma.

O diabo não entra na presença de Deus porque ele não o ama. Ele não se arrepende. Então ele fica com inveja dos que entram. Espalha maldade (fofoca) para contaminar o coração das pessoas. Assim se essas pessoas derem ouvido a voz da maldade (fofoca) e não repreender o mal, acabam sendo cúmplices do acusador. Por fim não conseguem entrar no lugar secreto porque perderam o caminho que leva ao Pai. Ficam perambulando por aí. Vagando. Qualquer caminho que leva a “deus” serve.

Resposta de Jesus para os que usam o Salmo 91 e outras escrituras em benefício próprio: “‘Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus’”. Mateus 4:7

Robertt Marques

Disciplina de Deus

Jacó, porém, ficou só, e lutou com ele um homem até o romper do dia. [Ge 32:23]

Jacó teve uma visão celestial em sonhos com a escada que ligava o céu com a terra em meio ao sofrimento de sair as pressas da casa de seus pais, pois seu irmão estava a ponto de matá-lo. Ele saiu em obediência aos seus pais, enquanto Esaú desobedeceu [Gen 28:6-9). Muitos perguntam a Deus porque tal pessoa é mais abençoada do que ela. Porque os caminhos delas prosperam e o seu não. Esse é um dos grandes conflitos na mente do homem que o diabo pode aproveitar para usar e prender muitas almas. Tem momentos que Deus nos entrega muitas visões e revelações quando estamos em sua presença em meio a muito sofrimento.

 Deus amava Esaú e Jacó. A vida de Jacó foi próspera porque ele obedeceu a passar pela DISCIPLINA e CORREÇÃO de Deus, mesmo tendo que passar pela dor e o sofrimento. Você já deve ter escutado muitas vezes: “pois o Senhor disciplina a quem ama, assim como o pai faz ao filho de quem deseja o bem [Pv 3:12]. Já não bastava ser perseguido pelo seu irmão, Jacó agora estava sendo perseguido pela ira de seu sogro Labão [Ge 31]. Jacó se reconcilia com Labão [Ge 31:53-55] e pega a estrada para voltar para sua terra. No caminho, quando tudo parecia tranqüilo, Jacó temeu ao saber que seu irmão Esaú estava indo ao seu encontro com 400 homens. Nossa mente pode apontar que nada está ao nosso favor, quando na verdade Deus está trabalhando quando nos sujeitamos a passar pela Sua disciplina.

 Acredito que Jesus ficou inspirado ao ler essa passagem que conta a história de Jacó. Quando tudo não tinha mais solução ao homem, ele se retirava  do meio de todos para ficar sozinho e lutar em oração. Não saía da presença do Pai até que houvesse um ROMPER em oração. Não determinava o tempo que tinha que ficar em oração; determinava a insistência. Tirava também todas as pessoas e coisas da sua presença para ficar só com o Pai.

 O que fazemos muitas vezes quando algo não está nada bem, é fugir da DISCIPLINA e CORREÇÃO de Deus. Aí que deixamos de ler e meditar a bíblia, jejuar, santificar, ter intimidade com Deus, e pior, deixamos de orar com perseverança. Perdemos a esperança quando nada está  ao nosso favor. Deus “deve” rir com o homem nessa situação. Deve dizer: “Agora que o homem não depende dele, vamos ver qual será sua atitude. Se ele me ama de fato ou se ele vai se isolar de mim e buscar seus interesses egoístas e se rebelar contra a sensatez [Pv 18:1]

 Jesus, nosso maior exemplo, ficou SÓ, e lutou em oração até romper para que os céus derramasse poder sobre sua vida na terra. Lembre-se que em agonia, orava mais intensamente [Lc 22:44]. Todos os homens e mulheres que foram usados por Deus, e que marcaram uma geração, lutaram em oração em meio ao sofrimento. Sim, de fato, foram mais cobrados em responsabilidade porque tinham mais de Deus para carregar.

Quando você não se conformar com as coisas do mundo, pegue sua bíblia, se tranque sozinho em seu quarto e não saia de lá até um ROMPER em oração acontecer.

por: Robertt Marques

Arca da Aliança e o boi

Da casa de Abinadabe levaram a arca de Deus num carroção novo, conduzido por Uzá e Aiô. Davi e todos os israelitas iam dançando e cantando com todo o vigor diante de Deus, ao som de harpas, liras, tamborins, címbalos e cornetas. Quando chegaram à eira de Quidom, Uzá esticou o braço e segurou a araca, porque os bois haviam tropeçado. A ira do Senhor acendeu-se contra Uzá, e ele o feriu por ter tocado a arca. Uzá morreu ali mesmo, diante de Deus. (I Cr 13:7-8)

Existem muitos cristãos nas igrejas que são como boi. Carregam a glória de Deus sem CONHECIMENTO e DIREÇÃO. Não querem ter a RESPONSABILIDADE de carregar a Arca de Deus e Sua palavra. Carregam a glória de Deus de qualquer jeito (carroça de bois) como se estivesse agradando, quando Ele mesmo deu instruções e direções aos homens para carregá-la. Como se não bastasse, dão uma festa de “adoração” diante de Deus. Há muitos cristãos que transformam a liberdade em libertinagem (Judas 1:4).

A cruz de Jesus é a arca da aliança. Tenha conhecimento, direção e responsabilidade com a cruz que você carrega nas costas.

O boi não tem conhecimento do que ele carrega.
O boi não tem direção.
O boi não tem responsabilidade

Não seja um boi!

Por: Thiago Romao // Conferencia de Adoração Dinamus 2012.

Cura de um hemofílico

Na manhã de segunda, 27, encontrei um homem no metro de SP. Eu estava no vagão quando ele entrou. A aparência física dele estava debilitada. Uma seringa com um curativo estava presa ao seu pescoço, e vários curativos pelo braço. Num breve momento ele tirou um dos curativos, então começou a escorrer sangue. Deus falou de uma forma simples comigo: “Ore por ele para liberar o meu poder e trazer o meu Reino dos Céus sobre a sua vida”. Não fiquei incomodado como muitos dizem quando Deus fala. Fiquei sim, cheio de expectativas para o que o Senhor iria fazer. O segui até um certo ponto quando saímos do metro. Aproximei dele e perguntei qual era a sua enfermidade, ele me disse: “Faço hemodiálise algum tempo”. Já acompanhei minha mãe, que é enfermeira, em cuidados com hemofílicos. É um problema na circulação do sangue. O corpo não consegue controlar os sangramentos. Pequenos cortes desse sangramento pode levar a pessoa à morte. Não tem cura para os médicos, somente tratamento. Pedi para orar, ele deixou. Disse: “Deus vai trazer os céus na terra agora, apenas creia”. Impus as mãos sobre ele. A oração foi: “Senhor, que o sangue de Jesus purifique o seu coração agora. Tive a visão do seu sangue sendo purificado e circulando normalmente como Deus quer. 

Irmãos, para honra e Glória do seu Senhor, temos que ser o menor dos menores de todos os santos, e abraçar a graça de anunciar aos gentios as insondáveis riquezas de Cristo… Ap. Paulo

Reputação e o medo atacam o fundamento do nosso relacionamento com Deus. “Porque o reino de Deus não consiste em palavras, mas em poder”. – Ap Paulo.

Robertt Marques