Igreja ou Denominação?

Igreja_ou_denominacao

A Igreja de Cristo foi estabelecida por Deus para evangelismo, adoração, comunhão, discipulado e serviço (Atos 2:42-47). A denominação não foi estabelecida por Deus. A Bíblia fala de Igreja. Não encontramos nenhuma referência bíblica sobre denominação X, Y ou Z. Por isso que não existe unidade nas denominações que estão sob um espírito de competição para mostrar quem é mais espiritual que a outra. Líderes que ungem pessoas para cargos com o objetivo de mantê-las produtivas e ocupadas não tem propósito algum. Logo elas estarão cansadas, frustradas e com medo.

Fazer para Deus sem Deus não leva a lugar algum. Isso é ativismo. Precisamos sair do estado de denominação sem função no Corpo para Igreja com Propósitos que gera frutos eternos. Temos muitas denominações para poucas Igrejas em nosso país. Muitos auto-intitulados apóstolos não entenderam o significado profundo e o propósito celestial desse ministério como descrito por Paulo em I Coríntios 4:1-5. Basta sair às ruas para evangelizar que é possível encontrar pessoas sem-igreja porque tiveram péssimas experiências com denominações e não com Igrejas realmente bíblicas. Muitas querem Jesus. Não denominação, mas uma igreja com Palavra (não aquela água com açúcar), demonstração de Espírito e de poder.

É maravilhoso quando você lê e tem a revelação da oração de Jesus em João 17:1-26 onde fala também sobre o propósito da unidade dos discípulos e Apóstolo Paulo sobre a Unidade “no” Corpo de Cristo em Efésios 4.

Os propósitos da Igreja estão descritos no:

Grande Mandamento: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento. Este é o grande e primeiro mandamento. O segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. (Mateus 22.37-39)

Grande Comissão: Então, Jesus aproximou-se deles e disse: “Foi-me dada toda a autoridade no céu e na terra. Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei. E eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos”. (Mateus 28:18-20)

Robertt Marques

5 Livros Sobre Liderança

5 Livros Sobre Liderança

O estudo da liderança é de grande importância, principalmente, na época em que vivemos. “A autoridade não é para exercer governo sobre pessoas, mas para exercer autoridade em favor de pessoas”, segundo Luiz Hermínio (MEVAM). Uma grande característica de um líder é fazer com que as pessoas vão mais longe e cresçam mais do que ele. Quem acompanha a Cultura do Reino ganha 10% de desconto, basta inserir o código CULTURA2014.

5. O Líder da Próxima Geração – Andy Stanley

O Líder da Próxima Geração

Cinco características marcam o líder que definirá o futuro: competência, coragem, clareza, treinamento e caráter. Com a autoridade de duas décadas de experiência mentoreando uma geração em formação, o visionário de nosso tempo Andy Stanley mostra como: – Descobrir e utilizar seus pontos fortes; – Alavancar as incertezas; – Conservar a autoridade moral; – Controlar os seus medos; – Escolher um treinador de liderança. “Indivíduos capazes acabarão por superar, ultrapassar e substituir a geração atual de líderes”, diz o autor. Abrace e transmita à próxima geração de líderes as verdades perenes que vencem os desafios de hoje e superarão os desafios de amanhã . Afinal, nas palavras do autor, “em liderança, sucesso é sucessão”. Compre na ReinoStore

4. Liderança – John Maxwell

LiderançaLíderes existem para ajudar as pessoas a se tornarem quem Deus as criou para ser. Não é fácil! Muita gente depende de você: família, amigos, igreja, o mundo dos negócios, as comunidades. Enquanto outros dependem de você, de quem você pode depender? A resposta é: Deus, o líder supremo! Este devocional diário foi projetado para conectá-lo com Deus, abastecê-lo todos os dias à medida que você enfrenta novos desafios. Separando alguns minutos para certificar-se de estar seguindo o Líder supremo e aprendendo suas lições de liderança, sem dúvida você iluminará o caminho que o leva – e a seu povo – aonde só Deus pode conduzir, pois qualquer pessoa pode seguir um caminho, mas só um líder é capaz de iluminá-lo. Compre na ReinoStore

3. Elementos Essenciais da Liderança – Greg Ogden

Elementos Essencias da LiderançaElaborado para uso individual, em dupla ou em grupo, este livro é uma ferramenta indispensável no desenvolvimento de líderes lapidados por Cristo que sejam capazes de liderar outras pessoas com coragem e sabedoria. Talvez você não queira ser líder por desconhecer o significado da palavra ‘liderança’ ou por não estar seguro de suas próprias habilidades. No entanto, o mundo continua dependendo de líderes! Em todos os segmentos da sociedade (família, negócios, igreja) faltam pessoas para ocupar o papel de líderes, pessoas dispostas a dar um passo à frente e tomar decisões sábias, capazes de produzir mundanças positivas. Num mundo cujas prioridades diferem completamente das prioridades de Cristo, necessitamos de líderes cristãos que levem as pessoas a conhecê-lo. Compre na ReinoStore

2. Série Liderança – 4 Livros

Kit Serie Liderança

Nesta série de 4 livros você terá os livros O Caráter do Líder que trata sobre como grande parte das pessoas concorda com a ideia de que o caráter tem papel essencial na liderança; A Sedução do Líder fala que nós fomos feitos para ter uma missão na vida, que se não cumprirmos a missão que Deus projetou, encontraremos algo que ocupe o seu lugar; Quando a Liderança e o Discipulado Entram em Conflito mostra que conflito existe e explica c omo as decisões que tomamos nesses momentos afetam não apenas a nossa vida, mas também o destino de nossa equipe; Visão: Força Motriz da Organização que mostra aos líderes por que a visão não se mantém no foco. Compre na ReinoStore

1. A Arte de Influenciar Pessoas – John Maxwell

A arte de influenciar pessoasUse todo o tempo disponível para aprimorar talentos e habilidades, seja qual for sua área de atuação. Participe de palestras e seminários, assista a vídeos de especialistas, atualize sua biblioteca. Embora tudo isso seja muito importante para o crescimento pessoal e profissional, lembre-se de que nenhum desses recursos substitui a capacidade de criar e manter relacionamentos, traço comum a todas as pessoas que fazem diferença além de traduzir-se em medida fundamental da boa liderança. E o que aprendeu em quase quatro décadas de experiência como pastor, orador, conferencista e escritor ele compartilha neste livro que não há segredos. Compre na ReinoStore

5 Livros Sobre Oração

5 Livros Sobre Oração

Jesus não ensinou somente a orar, mas colocá-la em prática de maneira eficiente para que o PODER do Espírito Santo cresça em nossa vida.  Jesus foi um grande exemplo de oração. Mantenha-se o fogo continuamente aceso no altar; não deve ser apagado. Levítico 6.13. Há mais de duzentos anos, esse versículo foi marcado com fogo no coração dos refugiados morávios da pequena comunidade de Herrnhut, Alemanha. O compromisso que tinham com a restauração da Vigília do Senhor, com 24 horas de oração e intercessão ininterruptas, foi mantido por mais de cem anos. Deus está chamando guerreiros para que novamente montem sentinela em Vigília. Selecionamos 5 livros sobre oração para equipar seu ministério. Quem acompanha a Cultura do Reino ganha 10% de desconto, basta inserir o código CULTURA2014.

5. O Poder da Oração Persistente – Cindy Jacobs

O Poder da Oração PersistenteOs segredos de um general de oração é o que a autora Cindy Jacobs traz neste livro com o intuito de que você tenha em mãos os elementos indispensáveis para obter respostas às suas orações. Esses elementos foram frutos de longos períodos de oração em lugares e situações-limite por que passou a autora. Momentos áridos e difíceis foram confrontados com momentos silenciosos de angústia, choro e clamor por nossas gerações. Compre na ReinoStore

4. Princípios da Oração – Charles Finney

Principios da Oração - Charles FinneyAprenda a orar com poder. Princípios da oração oferece um estudo de 40 dias para aqueles que desejam orar com poder e testemunhar os resultados. Cada lição que abrange meditação, aplicação e oração  ajudará você a desenvolver a maturidade cristã. O ministério de Charles Finney levantou-se como uma onda de choque espiritual no cenário norte-americano do século XIX. Finney atribuía sua eficácia em grande parte à oração. Agora suas magníficas ideias estão condensadas e reunidas neste pequeno livro. Compre na ReinoStore

3. O Poder Secreto da Oração e do Jejum – Mahesh Chavda

O Poder Secreto do Jejum e da OraçãoDeus tem uma maneira de transformar derrotas em vitórias e fortalezas demoníacas em caminhos de amor e poder. Quando você enfrentar a derrota, O poder secreto da oração e do jejum lhe dará poder para liberar o Espírito Santo em seu interior! Seja problema físico, seja financeiro ou familiar, Mahesh Chavda enfrentou vitoriosamente esses ataques e viu o poder de Deus ganhar cada batalha. O estilo de vida de Mahesh Chavda é marcado pelo jejum e pela oração, por isso inspira você a lutar o bom combate, e Deus lhe dará a solução. Compre na ReinoStore

2. Oração Intercessória – Dutch Sheets

Oração IntercessóriaSuas Orações São Poderosas. Se Deus é Todo-Poderoso, por que precisa das nossas orações? Quando oramos e nada acontece, isso significa que Deus não está ouvindo? Se alguma vez você já sentiu que parece que suas orações não têm valor, este livro lhe mostrará o quanto elas são fundamentais. O pastor e mestre Dutch Sheets explica todos os detalhes relacionadas à oração com sabedoria, gentileza e humor. Este livro irá inspirar você, lhe dará a coragem para orar pelo impossível e o ajudará a persistir até o fim, até suas orações serem concluídas. Descubra seu papel como guerreiro de oração: fazer a diferença entre o céu e o inferno na vida de alguém que você conhece! Compre na ReinoStore

1. A Arte Perdida da Intercessão – James Goll

A arte perdida da intercessãoMantenha-se o fogo continuamente aceso no altar; não deve ser apagado. Levítico 6.13. Há mais de duzentos anos, esse versículo foi marcado com fogo no coração dos refugiados morávios da pequena comunidade de Herrnhut, Alemanha. O compromisso que tinham com a restauração da Vigília do Senhor, com 24 horas de oração e intercessão ininterruptas, foi mantido por mais de cem anos. Deus está chamando guerreiros para que novamente montem sentinela em Vigília.  Compre na ReinoStore

Por Que Tarda o Pleno Avivamento? Leonard Ravenhill

Por Que Tarda o Pleno Avivamento - Leonard Ravenhill

Harnack definiu o cristianismo como “algo muito simples e muito sublime: viver no tempo e na eternidade sob o olhar de Deus, e com a ajuda dele”.

Ah, se os crentes pudessem estar cônscios da eternidade! Ah, se pudéssemos viver cada momento sob o olhar de Deus, se pudéssemos viver tendo sempre em mente o juízo final, e vender tudo que vendemos tendo em mente o juízo final, e fazer todas as nossas orações, dar o dízimo de tudo que possuímos, tendo em mente o juízo final; e se nós pregadores preparássemos nossas mensagens com um olho voltado para a humanidade perdida e outro para o trono do juízo final, então experimentaríamos um avivamento operado pelo Espírito Santo que abalaria esta terra, e que em pouco tempo salvaria milhões e milhões de vidas preciosas.

A baixa moralidade prevalente hoje em dia, bem como as tentativas das diversas seitas e cultos de dominar o mundo, deveriam deixar-nos alarmados. Alguém já disse, e com muita razão, que existem apenas três tipos de pessoas no mundo hoje: os que têm medo, os que não conhecem a realidade o suficiente para chegar a ter medo, e os que conhecem a Bíblia. Sodoma — onde não havia Bíblia, nem pastores, nem folhetos, nem reuniões de oração, nem igrejas — pereceu. Como será que os Estados Unidos e a Inglaterra vão escapar da ira de Deus? Aqui temos milhões de bíblias, centenas de milhares de igrejas, um sem número de pregadores — e quanto pecado!

Os homens constroem nossos templos, mas não entram neles; imprimem bíblias, mas não as lêem; falam de Deus, mas não crêem nele; conversam a respeito de Cristo, mas não confiam nele para sua salvação; cantam nossos hinos, mas depois os esquecem. Onde é que vamos parar com tudo isso?

Em quase todos os seminários de estudos bíblicos hoje a igreja atual é descrita nos termos da carta aos efésios. Afirma-se que, apesar de toda a nossa carnalidade e pecado, estamos sentados com Cristo nos lugares celestiais. Que mentira! Somos efésios, sim, mas da Igreja de Éfeso do Apocalipse, aquela que abandonou o seu “primeiro amor”. Fazemos concessões ao pecado em vez de fazermos oposição a ele. E nossa sociedade licenciosa, libertina, leviana nunca se curvará diante dessa igreja fria, carnal, crítica. Paremos de ficar procurando desculpas para nosso fracasso. A culpa pelo declínio da moralidade não é do cinema e da televisão. A culpa pela atual corrupção e depravação internacional é toda da igreja. Ela não é mais um espinho nas ilhargas do mundo. E não foi nos momentos de popularidade que a verdadeira igreja triunfou, mas, sim, nas horas de adversidade. Como podemos ser tão ingênuos a ponto de pensar que a igreja está apresentando aos homens o padrão estabelecido por Jesus no Novo Testamento, com esse baixo padrão de espiritualidade que ela ostenta.

Por que tarda o avivamento? A resposta é muito simples. Tarda porque os pregadores e evangelistas estão mais preocupados com dinheiro, fama e aceitação pessoal, do que em levar os perdidos ao arrependimento.

Tarda porque nossos cultos evangelísticos parecem mais shows teatrais do que pregação do evangelho.

O avivamento tarda porque os evangelistas de hoje têm receio de falar contra as falsas religiões.

Elias zombou dos profetas de Baal, e debochou da sua incapacidade de fazer chover. Seria melhor que saíssemos à noite (como fez Gideão), e derrubássemos os postes-ídolos dos falsos deuses, do que deixar de realizar a vontade de Deus. As seitas anticristãs e as religiões ímpias desta nossa hora final constituem um insulto contra Deus. Será que ninguém fará soar o alarme?

Por que não protestamos? Se tivéssemos metade da importância que julgamos ter e um décimo do poder que pensamos possuir, estaríamos recebendo um batismo de sangue, tanto quanto recebemos de água e fogo.

As portas das igrejas da Inglaterra se fecharam para João Wesley. E um de seus críticos disse que “ele e seus tolos pregadores leigos — esses grupos de funileiros, garis, carroceiros e limpadores de chaminés — estão saindo por aí a envenenar a mente das pessoas”. Que linguagem abusiva! Mas Wesley não tinha medo nem de homens nem de demônios. E se Whitefield era ridicularizado nas peças de teatro da Inglaterra da maneira mais vergonhosa possível, e se os cristãos do Novo Testamento foram apedrejados e sofreram todo tipo de ignomínia, por que será que nós, hoje em dia, não provocamos mais a ira do inferno, já que o pecado e os pecadores continuam sempre os mesmos? Por que será que somos tão gelados e enfadonhos? É bem verdade que pode haver muito tumulto sem avivamento. Mas, à luz do ensino bíblico e da história da igreja, não podemos ter avivamento sem tumulto.

O avivamento tarda porque não temos mais intensidade e fervor na oração. Há algum tempo, um famoso pregador, ao iniciar uma série de conferências, fez a seguinte declaração: “Vim para esta série de conferências com grande desejo de orar. Agora peço àqueles que gostariam de carregar junto comigo esse peso que ergam uma das mãos, e que ninguém seja hipócrita”.

Um bom número de pessoas levantou a mão. Mas, lá pelo meio da semana, quando alguns resolveram promover uma vigília, o grande pregador foi dormir. Que hipocrisia! Já não existe mais integridade. Tudo é superficial. O fator que mais retarda a vinda de um avivamento do Espírito Santo é essa ausência de angústia de alma. Em vez de buscarmos a propagação do reino de Deus, estamos fazendo mais propaganda. Que loucura! Quando Tiago (5.17) diz que Elias “orou”, estava acrescentando um valioso adendo à biografia dele registrada no Velho Testamento. Sem essa observação, ao lermos ali: “Elias profetizou”, concluiríamos que a oração não fez parte da vida dele.

Em nossas orações ainda não resistimos até o sangue; não mesmo. Como diz Lutero, “nem ao menos fizemos suar nossa alma”. Oramos com uma atitude tipo “o que vier está bom”. Deixamos tudo ao acaso. Nossas orações não nos custam nada. Nem mesmo demonstramos forte desejo de orar. Fica tudo na dependência de nossa disposição, e por isso oramos de forma intermitente e espasmódica.

A única força diante da qual Deus se rende é a oração. Escrevemos muito sobre o poder da oração, mas ao orar não temos aquele espírito de luta. Nós fazemos tudo: exibimos nossos dons espirituais ou naturais; expomos nossas opiniões, políticas ou religiosas; pregamos sermões ou escrevemos livros para corrigir desvios doutrinários. Mas quem quer orar e atacar as fortalezas do inferno? Quem irá resistir ao diabo? Quem quer privar-se de alimento, descanso e lazer, para que os infernos o vejam lutando, envergonhando os demônios, libertando os cativos, esvaziando o inferno, e sofrendo as dores de parto para deixar atrás de si uma fileira de pessoas lavadas pelo sangue de Cristo?

Em último lugar, o avivamento tarda porque roubamos a glória que pertence a Deus. Reflitamos um pouco sobre essas palavras de Jesus: “Eu não aceito glória que vem dos homens”. “Como podeis crer, vós os que aceitais glória uns dos outros, e contudo não procurais a glória que vem do Deus único?” (Jo 5.41,44.) Chega de toda essa autopromoção nos púlpitos. Chega de tanto exaltar “meu programa de rádio”, “minha igreja”, “meus livros”. Ah, que repulsiva demonstração carnal vemos nos púlpitos: “Hoje, temos o grande privilégio…” E os pregadores aceitam isso; não, eles já o esperam. (E se esquecem de que só estão ali pela graça de Deus.) E a vaidade é que, quando ouvimos tais homens pregar, notamos que nunca ficaríamos sabendo que eram tão importantes, se não tivessem sido apresentados como tal.

Coitado de Deus! Ele não está recebendo muita glória! Então, por que ele ainda não cumpriu sua terrível mas bendita ameaça de que iria vomitar-nos de sua boca? Nós fracassamos; estamos impuros. Apreciamos os louvores dos homens. Buscamos nossos próprios interesses. Ó Deus, liberta-nos dessa existência egoística, egocêntrica! Dá-nos a bênção do quebrantamento! O juízo deve começar por nós, pelos pregadores!

ADQUIRA AQUI O LIVRO “POR QUE TARDA O PLENO AVIVAMENTO” DE LEONARD RAVENHILL

O Homem do Céu – Irmão Yun

O Homem do Céu-Irmão Yun

Ele nasceu em 1958, na província de Henan, China. De um lar extremamente pobre e filho de um pai de temperamento violento, viu a situação de seu lar piorar quando inimigos acusaram seu pai perante a Guarda Vermelha (Polícia do governo comunista chinês), sendo este espancado e torturado várias vezes e até quase a morte, pela acusação de ser contra a política do governo.

Como a Bíblia era proibida e pregar o evangelho era um crime contra o Estado, uma experiência com Cristo só poderia acontecer de uma forma extremamente sobrenatural. Mas foi exatamente assim que aconteceu com sua mãe, ao ouvir certa vez uma voz compassiva e carinhosa sobre o amor de Jesus. O seu curto entendimento não impediu que ela conduzisse sua família a crer que somente Jesus era a esperança para salvar seu marido que estava à beira da morte.

O irmão Yun bradava “Jesus, cura o Papai”. O Senhor operou um milagre e restabeleceu sua saúde. O Senhor entrou na história da família de Yun, quando sua mãe passou a pregar o evangelho e a reunir irmãos em sua casa, algo considerado crime de traição ao governo comunista.

A Bíblia

Yun quase enlouqueceu por uma Bíblia. Nunca tinha sequer visto uma bíblia, era crime possuí-la. Não conhecia nada das escrituras. Sua mãe além de não conhecer também nada, era analfabeta, tudo que fazia era por absoluta revelação do Espírito Santo.

Passou a orar freneticamente pedindo uma Bíblia, passando momentos longos de jejum. Seus pais pensaram que ele estava enlouquecendo. Após três meses de oração, um dia, às 4 horas da madrugada, quando Yun estava orando, teve uma visão:

“Na visão eu subia uma colina íngreme, tentando empurrar um carrinho pesado … Nesse momento vi três homens descendo a colina na minha direção … Um deles empurrava um carrinho cheio de pães…e perguntou-me: ‘- Você está com fome?’ Sim… E eu chorei , pois minha família era extramamente pobre e tínhamos perdido tudo por causa da doença do papai … vivíamos de ajuda dos outros. Ele pegou um pacote contendo pães e disse: ‘- Coma imediatamente’. O pacote imediatamente virou uma Bíblia. Logo acordei e passei a procurar a Bíblia, e ao descobri que tinha sido só um sonho, comecei a chorar incontroladamente. Meu pai me segurou com força e bradou: ‘- Senhor, tem misericórdia do meu filho. Não permitas que ele enlouqueça.’ De repente alguém bateu a porta e chamou por mim … eu corri e perguntei se ele estava trazendo pão para mim … o homem respondeu: ‘- Temos um banquete para você’. Abri a porta e vi que era o mesmo homem do sonho, com um pacote vermelho, tendo uma Bíblia dentro. Os dois logo se foram. Mais tarde descobri que era de um servo do Senhor que tinha sofrido violentamente nas mãos governo por causa de sua fé em Jesus … ele teve uma visão que deveria dar uma Bíblia para um jovem em uma vila distante.

O Evangelismo

Como carregar a Bíblia poderia lhe causar a morte, o irmão Yun passou a decorá-la. Rapidamente memorizou os evangelhos. Tinha apenas 16 anos, quando o Senhor expressamente começou a lhe enviar a lugares diversos para pregar o evangelho. Na primeira vez, quando o Senhor lhe falou sobre uma vila próxima, quando ele estava na madrugara orando e decorando o livro de Atos, logo pela manhã encontrou um homem desconhecido que lhe disse: ‘Recebi a incumbência de levá-lo rumo ao oeste, até a Vila Gao, para você falar do evangelho. Estamos em jejum e oração há três dias por isto.’ Yun prontamente foi lá e teve sua primeira experiência de ser um “criminoso”, ao pregar o evangelho:

“Entramos numa casa com 40 pessoas. Assentei-me no chão e os demais se apertaram a minha volta. Eu estava nervoso, porque eu nunca tinha falado para um grupo … Fiquei assentado , com os olhos bem fechados e segurei a Bíblia acima da cabeça. Então disse: ‘Esta é a Bíblia … um anjo do Senhor a mandou. Se quiserem uma terão de orar e buscar a Deus como eu fiz’. Eu não sabia como pregar, só sabia recitar os versículos que decorei. Por isto recitei todo o evangelho de Mateus, sem saber se estavam entendendo algo … Estava cheio do Espírito Santo, cantava alguns cânticos da escritura …. músicas que eu não conhecia. Ao abrir os olhos todos estavam ajoelhados e chorando de arrependimento”.

Perseguição

Após o casamento, Yun foi preso novamente e por um milagre tremendo do Senhor, conseguiu escapar das mãos das autoridades, que o espancavam brutalmente. Passou então a ser considerado um foragido e tendo sua foto espalhada por diversas províncias, com o titulo de ser ‘um perigoso criminoso’.

“No inverno de 1978, começamos a batizar os convertidos. A única maneira segura era cortar um buraco no rio congelado, à noite, e batiza-los nas águas gélidas, enquanto os policiais dormiam. Multidões se convertiam todos os dias.” Havia muitas conversões milagrosas, como em regiões remotas e de difícil acesso, pessoas tinham experiências de pregação do próprio Senhor Jesus.

A situação de Yun piorou quando ele acusou diretamente alguns líderes da ‘Igreja dos três poderes’ de falsificadores da Palavra de Deus. Além de perseguido pelo governo, passou a ser caçado pela liderança da ‘Igreja dos três poderes’. Por várias vezes Yun relata fugas milagrosas das mãos de policiais cruéis. O livro é recheado de histórias que nos fazem lembrar as experiências de Paulo e de Pedro, no livro de Atos.

A Lição da Prisão

Finalmente preso e tremendamente espancado pela polícia, lhe foi prometido a liberdade se ele entregasse os líderes das igrejas domésticas. Condenado a 17 anos de cadeia, passou por sofrimentos inimagináveis. Os policiais foram instruídos a tratar mal todos os presos de sua cela, para que estes se revoltassem contra Yun. Não demorou para que fosse odiado por todos, que o passaram a espancar, jogar urina e fezes em seu rosto e roupas. Ainda havia o espancamento sofrido por policiais, tais como choques elétricos dentro da boca e outras torturas insuportáveis, como introdução de agulhas grandes entre suas unhas, enquanto policiais pisavam em suas mãos e pés, além de urinarem em seu rosto. Tudo tinha como objetivo que ele entregasse os outros irmãos para serem presos, em troca de sua liberdade.

O Jejum de 74 dias

Yun começou um jejum absoluto que durou 74 dias: sem água e comida. Passou a pesar menos de 30 quilos e continuou sendo torturado violentamente por presos e policiais. “Durante o jejum, embora meu corpo estivesse muito fraco, meu espírito se achava alerta e continuei confiando no Senhor.” Mas, o Senhor operou um tremendo milagre, quando todas as pessoas da sua cela foram tocadas pelo poder do evangelho e se converteram a Cristo. Yun teve os ossos de suas pernas esmigalhados a golpes de cassetetes, mesmo assim o Senhor operou um milagre, não só restaurando seus ossos, mas levando-o para fora da prisão, tal como aconteceu com Pedro e João no livro de Atos. As portas foram abertas e ninguém o via, até que ganhou o lado externo do complexo penitenciário.

Trabalho Atual

Após uma breve abertura política na China, Yun pôde pregar o evangelho com mais liberdade, fase em que o impacto da obra que Deus iniciou através dele e outros irmãos causaram enorme impacto em toda China. Mas, a brutalidade do regime reacendeu e as igrejas domésticas voltaram a ser duramente perseguidas, com assassinatos, prisões e torturas de todo tipo. Yun conseguiu fugir milagrosamente da China em 2001, escapando da morte, em mais uma notável intervenção divina. Este irmão continua completamente voltado para a obra que o Senhor chama a todos os cristãos : anunciar a Cristo e seu evangelho. Após contatos com cristãos ocidentais, o Irmão Yun observou: “No ocidente vejo templos belíssimos e equipamentos caros. Posso afirmar que não é preciso construir mais nada, pois os bens materiais não produzirão a vida do Senhor. A igreja ocidental precisa voltar à palavra do Senhor, pois ela tem faltado. Não é necessário simplesmente o conhecimento da palavra, mas a completa obediência a ela.”

Hoje ele trabalha com uma missão chamada “Back to Jerusalem”, voltada a envio de missionários a países que perseguem duramente os cristãos, notadamente nos países muçulmanos.

ADQUIRA AQUI O LIVRO “O HOMEM DO CÉU” DE IRMÃO YUN

5 Livros Sobre Arte Cristã

5 Livros Sobre Arte Cristã

Para Rookmaaker a espiritualidade cristã deve abranger todas as facetas da realidade criada por Deus, sem separação das coisas em sagradas e seculares. Quase sempre vemos os artistas  como sumos sacerdotes da cultura – nossos gurus – ou como celebridades e bobos da corte. Ao mesmo tempo, esperamos que eles criem coisas de valor quase eterno, sobre as quais se possa conversar séculos depois. No entanto, se os artistas quiserem alcançar sucesso, é preciso aderir à moda e ter apelo comercial. Para Rookmaaker, esse não é um problema novo. Selecionamos 5 Livros para o leitor compreender melhor essa visão da fé com a arte e música de maneira geral.  Quem acompanha a Cultura do Reino ganha 10% de desconto, basta inserir o código CULTURA2014.

05 – O Artista Adorador – Rory Noland

O Artista Adorador - Rory NolandRory Noland mais uma vez escreveu um livro obrigatório para todos os líderes de adoração um vislumbre da mente e do coração do artista e um desafio plenamente bíblico que se volta para a liderança verdadeiramente espiritual. Acima de tudo, é um livro pastoral escrito com profundo amor pela igreja e por aqueles que lideram a adoração. Este livro tanto incentiva quanto desafia, orienta e encoraja ao mesmo tempo. Para o líder de adoração experimentado, Noland reafirma crenças fundamentais. Para o menos experiente, oferece páginas com momentos de grande surpresa. Compre na ReinoStore

04 – Cinema e Fé Cristã – Brian Godawa

Cinema e Fé Cristã - Brian GodawaNós compramos o ingresso, apanhamos a pipoca e entramos na sala de cinema. As imagens brilham na tela mostrando mais de 24 quadros por segundo. Essa seqüência hipnótica de imagens em movimento muitas vezes nos faz esquecer nossas convicções e nos divertirmos com o impossível. Com a sensibilidade de um roteirista bem-sucedido e o sentimento de um cristão que gosta de refletir, Brian Godawa nos guia por um lugar de redenção dos filmes. Mostra os truques que os roteiristas usam para comunicar a sua mensagem e ensina a disciplina mental e a espiritual necessárias para se assistir aos filmes. Compre na ReinoStore

03 – A Arte Não Precisa de Justificativa – Rookmaaker

a arte não precisa de justificativa - RookmaakerO livro é uma leitura para todos os cristãos que desejam usar seus talentos para a glória daquele que os presenteou. É um chamado aos artistas, artesãos e músicos cristãos para que chorem, orem, pensem e trabalhem. Para o autor, qualquer discussão sobre o papel da arte deve ser precedida por uma afirmação básica: a arte não precisa de justificativa nem por motivos religiosos ou propósitos evangelísticos, nem por fins econômicos ou políticos. Compre na ReinoStore

02 – A Arte e a Bíblia – Francis Schaeffer

A arte e a bíblia - Francis SchaefferPara Francis Schaeffer, o cristão deve usar as artes para glorificar a Deus, não simplesmente como propaganda evangelística, mas como algo belo para a glória de Deus. A Arte e a Bíblia é uma obra fundamental para cristãos atuantes no mundo das artes. Neste clássico, Schaeffer examina o registro escritural da utilização de várias formas artísticas e estabelece uma perspectiva cristã sobre a arte. Com clareza e vigor, ele explica por que o cristão é alguém cuja imaginação deve voar além das estrelas. Compre na ReinoStore

01 – Arte e Mente Cristã – Rookmaaker

Arte e a Mente Cristã - Laurel Gasque

Rookmaaker nasceu Henderik Roelof Rookmaaker e teve vida breve. Apenas 55 anos, vividos simetricamente no meio do século 20, de 1922 a1977. Foi o principal historiador e crítico cultural protestante do século 20.Para Laurel Gasque, escrever a biografia de Rookmaaker é relacioná-lo às suas obras e à sua persistente influência. É também uma tentativa de descrever a influência de pessoas e perspectivas na formação de sua vida e visão de mundo entre eles Francis Schaeffer , bem como tratar das relações entre o seu pensamento e a geração atual. Compre na ReinoStore

O Verdadeiro Arrependimento – Keith Green

O Verdadeiro Arrependimento - Keith Green

Você entende a diferença entre a convicção do Espírito Santo e a condenação que o diabo produz? Algumas pessoas repreendem o diabo, fazem uma batalha espiritual, e ainda assim não entendem por que nada muda.

Isto é porque não reconhecemos que pode ser o Espírito Santo trabalhando duro para conseguir nossa atenção. Ele quer nos mostrar a condição do nosso coraçao, trazendo à tona pecados escondidos em cantos escuros – pecados que não queremos admitir. Somos libertos apenas quando os admitimos e nos arrependemos.

Logo que me converti, eu não entendia o que era o arrependimento. Assim, passei muito tempo procurando aconselhamento. Eu dizia à pessoa que estava me aconselhando, “Não me sinto salvo. Estou falhando em muitas áreas. Estou fraco e frustrado.”

E a pessoa respondi, “Não, é o diabo tentando condená-lo. Você tem que resistí-lo, e crer que Jesus o ama.”

“Tudo bem”, eu dizia, “mas eu me sinto podre em todas aquelas áreas. Além disso, não tenho qualquer paz. Estou avacalhando tudo. Como é que eu posso ser uma pessoa salva?”

“Claro que você é salvo”, me respondiam. “Todos nós erramos às vezes. Não dê ouvidos àquelas mentiras. Deus diz que agora você é livre. Você tem que receber pela fé.”

Assim, no fim de cada sessão de aconselhamento, eu resolvia orar mais e exercitar minha fé ainda mais. E era isso que eu fazia! Eu orava bastante. Também lia minha Bíblia todos os dias. Mas na semana seguinte, lá estava eu no mesmo lugar.

Até que, um dia, já não dava mais para aguentar. Disse à minha esposa, “ainda que tenha que apodrecer aqui dentro, não saio desta casa até ter paz com Deus.” Então enterrei minha cabeça no colchão e clamei a Deus de todo o coração e toda a alma: “Senhor, não aguento mais minha hipocrisia. Não aguento mais agir como se estivesse acontecendo um reavivamento no meu coração, quando na realidade não tenho paz. Qual é o meu problema?”

Então o Espírito Santo brilhou Sua Luz no meu coração. “Você ainda não entendeu?” Ele me disse. “Seu orgulho está dizendo que o seu pecado é apenas uma parte da sua personalidade. Seu orgulho fez você acreditar que essas áreas fracas são algo que você terá que aprender a aceitar. Mas isso não é verdade. Você é um pecador, e precisa se arrepender”.

Respondi ao Senhor, “Sim, mas todos nós somos pecadores!”

A repreensão do Senhor me fez cair do cavalo: “Não invente desculpas. Você é um pecador”. Então Ele começou a me mostrar que aquilo que eu sentia era a Sua convicção.

Entendeu? Deus estava tentando me conduzir ao arrependimento – e eu, por outro lado, estava repreendendo o diabo! O que eu não sabia – porque ninguém havia me contado – era como aceitar a mensagem da salvação por completo. Eu não tinha encarado o meu pecado e me arrependido.

Mas muitos crentes ainda estão sob jugo porque não experimentaram a verdadeira liberdade. Por quê? Porque ninguém lhe explicou aquilo que o arrependimento pode fazer. Ninguém lhes disse que, para nos livrarmos do pecado, temos que tratar inflexivelmente com ele! O problema é que às vezes as pessoas usam a palavra fé com o sentido de fingimento. Por exemplo, você diz “fui liberto pela fé” e então finge que é livre, quando na verdade você não é. Isso não é fé, é uma piada sem graça. Davi nos diz algo sobre isto:

Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim; e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado. Salmo 32:3-5

“Tua mão pesava sobre mim.” Soa  como convicção de pecado. O que foi que Davi fez? Arrependeu-se do seu pecado. Confessou-o ao Senhor e recebeu perdão. Assim, sua culpa foi tirada.

O Espírito Santo quer nos convencer, para que possamos nos arrepender e sejamos restaurados. O diabo quer nos desmoralizar e, por fim, nos destruir. A diferença é simples: o Espírito Santo sempre é específico. Ele diz “pare de gritar com seus filhos,” ou “você precisa orar mais.” Por outro lado, o diabo sempre faz acusações gerais. Ele diz coisas do tipo “você é um pai (ou mãe) terrível e crente fajuto, que não ora. Por que você não desiste de uma vez?”

É importante saber quem está falando conosco para termos a resposta correta – e sermos livres.

Após sua conversão, Keith Green colocou seu talento musical à disposição do Reino de Deus e realizou diversos concertos anunciando o cristianismo sério e engajado através de sua mensagem simples, direta e apaixonada pelo Senhor.

ADQUIRA AQUI O LIVRO “SE VOCÊ AMA O SENHOR” DE KEITH GREEN